Destaque

Resenha: Soppy - os pequenos detalhes do amor (versão 2.0)

Tarso Moura sobre tipografia

Foto de Tarso Moura com uma camiseta vermelha. Ele tem a pele morena, cabelo curto e usa óculos.

A entrevista desse mês é com Tarso Moura. Caso você não lembre, nós o conhecemos num workshop (para saber mais, veja esses link). Depois de uma tarde de sábado, a experiência foi tão bacana que trouxemos ele aqui.

AD - Como surgiu o seu interesse em Tipografia?

TM - A tipografia surgiu para mim como uma alternativa ao desenho para a criação de imagens. No começo da faculdade, muito por ser fã de ilustradores e gostar de estudar desenho, tinha uma visão limitada que o desenho era a única ferramenta de construção de imagem para o design. Porém graças à orientação de professores, profissionais e ao estudo mais aprofundado das áreas da tipografia, percebi que existe uma ampla gama de conceitos e possibilidades estéticas que as letras podem alcançar.

AD - Você tem alguma família tipográfica (ou fonte) favorita?

TM - É complicado escolher uma favorita [risos]. Cada fonte tem seu uso apropriado. Depende também do conceito que o tipógrafo pensou ao criá-la, e do designer ao usá-la. Mas sem ficar em cima do muro, tem algumas fontes que eu sou fã. 


Exemplo da fonte DIN. A imagem é a placa de transito da Alemanha (fundo amarela com fonte preto). A Fonte ela não é muito larga e tem um bom espaçamento entre as letras.
Exemplo da fonte DIN (Fotográfia: Wikipedia)

DIN é uma delas. Por sua contemporaneidade, versatilidade e peculiaridades de uma fonte feita para o sistema de trânsito alemão. Vale a pena dar uma lida sobre a história dessa fonte. 

 O designer pode ter uma(s) fonte(s) favorita(s) por diversos motivos, mas isso não quer dizer que ele deve usá-la em todos os projetos. O uso da tipografia, quando bem usado, passa por uma escolha de acordo com o projeto como qualquer outro elemento gráfico, como cor, estilo, composição e etc.


AD - Já ouvi falar que ao estudar uma fonte, você acaba estudando também um pouco de história. Você concorda? Pode dar um exemplo?

TM - Com toda certeza. Assim como outras áreas do design. Quanto mais o designer se aprofunda em alguma área, mais ele irá perceber que esse estudo passa pela história do assunto e de assuntos próximos. 

Na tipografia, passa pela história da escrita, da linguística, do design e até mesmo na história das fontes. Isso ajudará o profissional que quer trabalhar com tipografia a aumentar seu repertório visual e a reunir os acertos do passado a seu favor.

AD - Quais profissionais você admira ou te inspirou a trabalhar com tipografia?

TM - Vários! Fica difícil falar mas tem uns que consulto quase sempre.

  • Matthew Carter, 
  • Aloísio Magalhães, 
  • Alexandre Wollner, 
  • Hans Heittman, 
  • Cláudio Gil, entre muitos outros.
AD - O que te levou a fazer um workshop? Pretende fazer uma nova edição?

TM - Uma coisa que me motivou muito foi a capacidade da caligrafia em fazer com que o participante tenha contato com os conceitos da tipografia de forma rápida e objetiva. Isso me encantou quando fiz minha primeira letra e fico cada vez mais motivado quando vejo as pessoas descobrindo também. 

AD - Indique 5 títulos para nossos leitores:

Elementos do estilo tipográfico (Robert Bringhust) – Leitura obrigatória para quem quer trabalhar com letras, mas é mais avançado. Vale à pena, porque você irá ler várias vezes, em várias fases da sua carreira profissional, e cada vez terá novos insights e interpretações. Para comprar o livro, acesse esse link.

 

Designing Type (Karen Cheng) – Um dos melhores livros para design de tipos. Para comprar o livro, acesse esse link.

 

A arte da caligrafia (David Harris) – Referência bem legal para quem quer estudar caligrafia. Tem a história e instruções de vários alfabetos de forma clara e bem apresentada. Para comprar o livro, acesse esse link.


Esse é meu tipo (Simon Garfield) – Esse livro eu indico para qualquer designer. É um livro bem leve, contando a história de famílias tipográficas famosas. Para comprar o livro, acesse esse link.

 

Batman Asilo Arkham (Dave McKean e Grant Morrison) – É um quadrinho clássico com letterings impressionantes do Mckean. Uma referência para ilustração, caligrafia e lettering. Para comprar o livro, acesse esse link.


Vou quebrar o protocolo um pouco e vou indicar um canal no YouTube. Vejam o canal chamado Diacrítico organizado pela galera do Diatipo SP (um dos maiores eventos de tipografia do Brasil). Lá eles abordam diversos temas dentro da tipografia e falam tanto para um nível inicial quanto para um mais avançado.









É isso. Muito obrigado pela oportunidade. Espero ter ajudado os leitores, e sempre que precisar estou à disposição. :)

Comentários