Destaque

Resenha: Soppy - os pequenos detalhes do amor (versão 2.0)

Como fizemos nosso cartão de visita




Iniciando uma nova seção aqui no Atelier Design, até para mostrar um pouco de como nós trabalhamos aqui, conheçam a Como fizemos. Sim, nome mais que explicativo, né?


E como primeiro projeto que quis trazer a vocês, pensei em algo bem básico: o nosso cartão de visita. O que aconteceu: a GráficaPró nos convidou para testar o seu serviço de impressão e como nós trocamos de marca, mas não tínhamos ainda um cartão de visita, juntamos o útil ao agradável.

Eu sei que com tanta tecnologia pode parecer um pouco inútil produzir, mas o cartão de visita ainda dá impacto. Na minha opinião, o cartão de visita tem o momento certo para aparecer: quando você participa de algum evento e encontrou alguém bacana e deseja retomar o contato. O contato visual, a conversa previamente feita junto com um cartão bem produzido dá um outra impressão à pessoa com quem falamos.

Nosso primeiro cartão foi feito em Curitiba (imagens abaixo). Ele não tinha muito o apelo da marca do blog que usávamos na época – tinha o elemento gráfico (óculos) e a paleta de cores. Pensamos assim, pois o blog ainda era muito pequeno e não tínhamos um objetivo claro enquanto canal de comunicação. O bacana dele era a continuidade que criamos entre o verso e a frente, pois cada lado era destinado a um profissional: eu como Designer Gráfico e Rennan como Ilustrador.

OBS: pra quem fica reclamando das marcas que usam degradê, o Atelier Design já tinha visão, tá! Perceba como a primeira marca do blog tinha uma paleta de cores muito parecida com as cores que o Instagram aplicou em 2016. 


Imagem dividida em duas partes: a primeira mostra a primeira marca, composota por três cores (azul, laranja e roxo) e mais o elemento do óculos. A outra parte é aexibição do cartão de visita com a explicação.
Fotografia: Nívia Bellos
Com um pouco mais de um ano de publicação, vimos que precisávamos mudar a marca de novo, e consequentemente o cartão também. Buscávamos uma marca trouxe-se a ideia de pluralidade (não só em relação ao conteúdo abordado no texto, como também dentro nossas atividades, já que eu trabalho como Designer Gráfico e Rennan como Designer de produto) ao mesmo tempo que fosse algo jovial. Com isso, tivemos que abrir mão totalmente da primeira marca (poucos elementos continuaram), mas foi um bom caminho.

A solução que encontramos foi este pequeno cubo (não é um hexágono, é sim um cubinho chapado) e escolhemos manter esse tom de azul e a fonte Slab. Confesso que a escolha da tipografia foi mais por uma questão de gosto pessoal do que por questão técnicas. E repetimos a proposta de criar uma pequena textura visual com o elemento da marca.

O novo cartão que fizemos foi produzido em Nova Iguaçu. A qualidade de impressão se manteve, mas a evolução mesmo foi no acabamento. Enquanto o primeiro é só papel, o segundo cartão era de couchê com aplicação de laminação brilhante, o que fez total diferença, pois preservou melhor o material.


Imagem mostra o nosso segundo cartão.Ele é de fundo azul com a marca aplicada no meio. E no lado direito a aplicação de uma malha visual.
Fotografia: Nívia Bellos

Este ano, mudamos de novo a marca e o cartão de visita! O bacana é perceber a evolução que tivemos nesses três anos porque demonstra como amadurecemos nossa ideia – pois fomos construindo a nossa comunicação. Isso acontece muito com quem trabalha com identidade de marca: precisa entender melhor o próprio negócio. Somos redatores de um blog? Sim, mas buscamos realizar o nosso melhor: seja em estabelecer parcerias ou fazer projetos.

E o convite da GPró veio no momento certo, pois precisávamos de uma cartão financeiramente viável e que mantivesse a qualidade. Também buscamos outros tipos de acabamento, pois queríamos aproveitar outros tipos de aplicação. E fiquei bem satisfeita, pois escolhemos a laminação fosca – detalhe sutil, mas que deu um charme no material – e ainda aplicamos verniz localizado!! É bom produzir seu próprio material porque você mesmo pode testar e ver a qualidade do fornecedor. Se o teu próprio material não fica bom, como mandar aquele arquivo para o cliente?

Acredito que agora temos um bom material – definimos melhor o que queríamos como empresa e como blog e transmitimos isso visualmente. E temos um material impresso que está de acordo com nossas necessidades. Conheçam nosso novo cartão nas imagens abaixo. = D

Fotografia: Rennan Mendes

Fotografia: Rennan Mendes

Fotografia: Rennan Mendes

Comentários