Novidades:
Procurando...

Entrevista: Tarso Moura


A entrevista dessa mês é com Tarso Moura. Caso você não lembre, nós o conhecemos num workshop em Junho. Assim, depois de uma tarde de sábado, a experiência foi tão bacana que trouxemos ele aqui.
 
AD - Como surgiu o seu interesse em Tipografia?
A tipografia surgiu para mim como uma alternativa ao desenho para a criação de imagens. No começo da faculdade, muito por ser fã de ilustradores e gostar de estudar desenho, tinha uma visão limitada que o desenho era a única ferramenta de construção de imagem para o design. Porém graças à orientação de professores, profissionais e ao estudo mais aprofundado das áreas da tipografia, percebi que existe uma ampla gama de conceitos e possibilidades estéticas que as letras podem alcançar.

AD - Você tem alguma família tipográfica (ou fonte) favorita?
É complicado escolher uma favorita rsrs. Cada fonte tem seu uso apropriado.Depende também do conceito que o tipógrafo pensou ao criá-la, e do designer ao usá-la. Mas sem ficar em cima do muro, tem algumas fontes que eu sou fã.

Exemplo da fonte DIN. A imagem é a placa de transito da Alemanha (fundo amarela com fonte preto). A Fonte ela não é muito larga e tem um bom espaçamento entre as letras.
Exemplo da fonte DIN (Fotográfia: Wikipedia)
A DIN é uma delas. Por sua contemporaneidade, versatilidade e peculiaridades de uma fonte feita para o sistema de trânsito alemão. Vale a pena dar uma lida sobre a história dessa fonte. 
O designer pode ter uma(s) fonte(s) favorita(s) por diversos motivos mas isso não quer dizer que ele deve usá-la em todos os projetos. O uso da tipografia, quando bem usado, passa por uma escolha de acordo com o projeto como qualquer outro elemento gráfico, como cor, estilo, composição e etc.

[ A gente adiantou um pouco trabalho, clique aqui para saber a história da DIN]


AD - Já ouvi falar que ao estudar uma fonte, você acaba estudando também um pouco de história. Você concorda? Pode dar um exemplo?


Com toda certeza. Assim como outras áreas do design. Quanto mais o designer se aprofunda em alguma área, mais ele irá perceber que esse estudo passa pela história do assunto e de assuntos próximos. 

Na tipografia, passa pela história da escrita, da linguística, do design e até mesmo na história das fontes. Isso ajudará o profissional que quer trabalhar com tipografia a aumentar seu repertório visual e a reunir os acertos do passado a seu favor.

AD - Quais profissionais você admira ou te inspirou a trabalhar com tipografia?

Vários! Fica difícil falar mas tem uns que consulto quase sempre.



  • Matthew Carter, 
  • Aloísio Magalhães, 
  • Alexandre Wollner, 
  • Hans Heittman, 
  • Cláudio Gil, entre muitos outros.
Imagem mostra três tipógrafos famosos: Claudio Gil (RJ), Matthew Carter e Alo´´isio Magalhães (Pernambuco).
Da esquerda para a direita: Cláudio Gil, Matthew Carter e Aloísio Magalhães.

[ Caso haja curiosidade em conhecer mais do trabalho de alguns deles: Portfólio do Claudio Gil / Sobre o trabalho de Alóisio Magalhães/ TED com Matthew Carter / Conversa com Alexandre Wollner ]

AD - O que te levou a fazer um workshop? Pretende fazer uma nova edição?
Uma coisa que me motivou muito foi a capacidade da caligrafia em fazer com que o participante tenha contato com os conceitos da tipografia de forma rápida e objetiva. Isso me encantou quando fiz minha primeira letra e fico cada vez mais motivado quando vejo as pessoas descobrindo também. 

AD - Indique 5 títulos para nossos leitores:

Capa do livro Elementos do estilo tipográfico
Elementos do estilo tipográfico/Robert Bringhust


Leitura obrigatória para quem quer trabalhar com letras, mas é mais avançado. Vale à pena, porque você irá ler várias vezes, em várias fases da sua carreira profissional, e cada vez terá novos insights e interpretações.


Designing type/Karen Cheng

 Um dos melhores livros para design de tipos.


Capa do livro "A arte da caligrafia"
A arte da caligrafia/David Harris.

Referência bem legal para quem quer estudar caligrafia. Tem a história e instruções de vários alfabetos de forma clara e bem apresentada.

Esse é meu tipo/Simon Garfield.
Esse livro eu indico para qualquer designer. É um livro bem leve, contando a história de famílias tipográficas famosas.

Batman - Asilo Arkham/Dave McKean e Grant Morrison (em Inglês).
 É um quadrinho clássico com letterings impressionantes do Mckean. Uma referência para ilustração, caligrafia e lettering.

Outras Indicações:









Vou quebrar o protocolo um pouco e vou indicar um canal no YouTube. Vejam o canal chamado Diacrítico organizado pela galera do Diatipo SP (um dos maiores eventos de tipografia do Brasil). Lá eles abordam diversos temas dentro da tipografia e falam tanto para um nível inicial quanto para um mais avançado.

É isso. Muito obrigado pela oportunidade. Espero ter ajudado os leitores, e sempre que precisar estou à disposição. :)

0 comentários:

Postar um comentário