Novidades:
Procurando...

Entrevista - Profª Luiza Rebello

Nossa convidada de hoje além de ser bem simpática e também a primeira professora a contribuir aqui no AD - Profª Luiza Rebello! De Designer de Joias à Professora na Universidade Federal Fluminense.
Antigamente, Design não era uma área muito conhecida. Como conheceu a profissão e porque escolheu?
        Em 1981, quando comecei a minha graduação, o Design, então conhecido na época como Desenho Industrial, já era uma área conhecida, já que a ESDI – Escola Superior de Desenho Industrial, a primeira escola de Desenho Industrial do Brasil, havia sido fundada em 1962. 
        No início dos anos 80, havia cinco cursos de Desenho Industrial no Rio de Janeiro: UFRJ, ESDI/UERJ, PUC, Faculdade da Cidade e Faculdades Integradas Silva e Souza.Eu conheci a profissão, por intermédio do meu pai, que era professor de Engenharia na UERJ e conhecia a então diretora da ESDI/UERJ, Profa. Carmen Portinho (que foi diretora da ESDI por 20 anos). Eu escolhi o Design como profissão porque gostava de criar e tinha afinidade com desenho.

Como surgiu o interesse de dar aula? Conte-nos um pouco dessa trajetória.       

         A princípio, eu não tinha interesse em lecionar, pois eu era muito tímida. Quando estava no meio do mestrado, eu fui convidada pela Profa. Anamaria de Moraes para substituí-la durante duas semanas nas aulas de diversas turmas nas disciplinas de Ergonomia Informacional e Ergonomia de Produto na Faculdade da Cidade. Foi um grande desafio. Afinal, a responsabilidade em substituir a grande Profa. Anamaria de Moraes era enorme! Bem, ao final da minha primeira aula (numa turma com 60 alunos!), dada em maio de 1991, eu não parei mais. Descobri que lecionar era muito bom!

  • De 1991 a 1993, fui substituta da Profa. Anamaria de Moraes em todas as disciplinas de Ergonomia. 
  • De 1993 a 2009, lecionei na Faculdade da Cidade/UniverCidade, nas disciplinas de Ergonomia Informacional, Ergonomia do Produto, Metodologia do Projeto e Produto como Veículo de Informação.
  •  De 1998 a 2009, lecionei no Centro Universitário Carioca/UniCarioca, nas disciplinas de Metodologia de Projeto, Projeto IV, Projeto V, Oficina e História do Design. 
  • Em 1998, 2006 e 2007, lecionei na EBA/UFRJ, no curso de Projeto de Produto nas duas disciplinas de Ergonomia do Produto.
  • De 2009 a 2011, lecionei na UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte) nas disciplinas de Metodologia de Projeto, Introdução ao Estudo do Design, Fundamentos da Linguagem Visual, Uso da Cor no Design e Teoria dos Signos.
  • De 2011 até atual, leciono na UFF, nas disciplinas de Metodologia de Projeto, Ergonomia 2, Projeto de Design 5 e Ergonomia 4.

Quais dicas você daria para alguém que queira virar professor de design? 
             Estude,seja curioso(a), invista em livros e cursos. Se ainda for estudante de graduação, faça monitoria e trabalhe em projetos de Iniciação Científica.Depois de formado(a), trabalhe um pouco na área para sentir quais as suas preferências e depois vá direto para uma boa pós-graduação (mestrado e doutorado), pesquise bem, trabalhe bem se faça conhecido na área, escreva artigos científicos, participe de congressos na área.


Um dos seus focos de ensino é a área de metodologia de projeto. Este interesse veio porquê?
       O interesse veio por acaso ainda na graduação à partir do 5º período do curso,pois a Metodologia de Projeto é A BASE de um projeto. No meu mestrado (em Engenharia de Produção, pois no início dos anos 90 não havia pós graduação na área de Design, que surgiu em meados dos anos 90 na PUC-Rio), eu pesquisava na área de Produto e Ergonomia. E, muitas vezes tive que estudar sobre Metodologia de Projeto. Comecei a dar aulas de Metodologia de Projeto em 1994.

Na sua opinião, um bom método garante o sucesso de um projeto?
        Um bom método não garante o sucesso de um projeto, mas ajuda. O designer tem que conhecer bem as ferramentas com que ele deverá trabalhar. Não adianta conhecer diversos métodos se não souber criar e transitar por todas as etapas de um projeto.

Antes de lecionar, você trabalhou com Design de Joias. Poderia nos contar um pouco de sua experiência nessa área?
        Sim, assim que eu me graduei em Desenho Industrial (Projeto de Produto) e em Comunicação Visual (Programação Visual) – fiz as duas habilitações principais do Design – eu comecei a trabalhar com Design de Joias. No primeiro ano,trabalhei numa grande empresa, a Amsterdam Sauer, onde eu aprendi muito! Na época fiz cursos específicos de Design de Joias (Básico e Avançado) e de Gemologia, na AJORIO (Associação dos Joalheiros e Relojoeiros do Rio de Janeiro)
        Depois de um ano, pedi demissão e resolvi trabalhar como autônoma (freelancer) pois não gostava de criar com hora marcada. Eu tinha uma boa carteira de clientes, a maioria, ligados ao mercado externo. Quase todas as joias desenhadas no meu período de autônoma foram exportadas.
        No final de 1989, notei que o mercado estava se tornando muito difícil por questões econômicas do país (inflação galopante de 80% ao mês) e nesta época, comecei a estudar para fazer o mestrado. Fui aprovada para o mestrado no Programa de Engenharia de Produção da COPPE/UFRJ, e no início do ano de 1990 dou início ao mestrado. 
        No início deste mesmo ano, acontece uma tremenda reforma econômica, o chamado Plano Collor, que era o então presidente do Brasil. E, por causa disto, praticamente todos os meus clientes de Design de Joias deixam o país e os desenhos são parados de forma fulminante. Fim do capítulo Design de Joias e início do capítulo para a minha vida acadêmica, que entrei logo depois e estou nela até hoje, e com muita satisfação.


Soubemos que você escreveu um livro junto com José Abramovitz. Como aconteceu a parceria?
         Eu, infelizmente, não cheguei a escrever um livro com o Prof. José Abramovitz, nós escrevemos sim, uma apostila juntos com um método que nós criamos e utilizávamos esta apostila com nossos alunos da Faculdade da Cidade/UniverCidade. Aliás, eu continuo utilizando esta apostila até hoje.
        Nós íamos escrever um livro juntos. Até hoje existe o escopo deste livro, mas em 2009 eu fui morar em Natal e lecionar na UFRN. E acabou que o Zé (como eu carinhosamente sempre o chamava desde os meus tempos de aluna de graduação)escreveu um livro, mas não chegou a publicá-lo. Torço para que este livro seja publicado um dia!
        Na verdade, a parceria minha e do Zé começou quando eu era estudante de graduação. Ele foi meu professor em disciplinas de projeto no 5º, 6º e 8º períodos, sendo que o 8º era o TCC de Projeto de Produto. Ele gostava de me provocar nas orientações dos projetos, “botando pilha” para que eu pudesse me desenvolver cada vez mais nos projetos. Nós “brigávamos” muito! Eram “brigas” divertidas onde ele me desafiava a caminhar cada vez mais nos projetos. Foi com ele que eu conheci de fato o que era Metodologia de Projeto.
        Me graduei, trabalhei 4 anos com Design de Joias e em 1991 eu o reencontro na Faculdade da Cidade na época em que fui dar aulas pela primeira vez, substituindo a Profa. Anamaria de Moraes. O Prof. José Abramovitz, nesta época era o coordenador do curso de Desenho Industrial (nas duas habilitações de Projeto de Produto e Programação Visual). Durante 2 anos eu fui substituta da Profa. Anamaria de Moraes, até que em 1993, eu sou convidada pelo Zé a dar aulas de Ergonomia Informacional na Faculdade da Cidade. Em 1994 ele me chama também para lecionar na disciplina de Metodologia do Projeto. Em 1998, eu sou convidada por ele a lecionar na então Faculdade Carioca (UniCarioca). Aí, nossa parceria acadêmica se fortalece e durou até julho de 2014, com o falecimento dele.


OBS: O Prof. José Abramovitz também já apareceu aqui no blog com seu trabalho sobre Metodologia de Projeto - Link aqui!  

Indique 5 livros que você acredita serem fundamentais para a parte de projeto.
        Indicar 5 livros é algo muito difícil para mim, pois sou uma verdadeira “traça”! rsrsrs
Bem, eis a listagem que eu considero muito boa no que tange a Metodologia de Projeto e Projeto de Produto em geral:

BAXTER, Mike. Projeto de produto. 2a ed. São Paulo: Editora Blücher, 2000. 272p.

GOMES Filho, J. Design do Objeto – Bases conceituais. São Paulo, Ed. Escrituras, 2006.

LÖBACH, Bernd. Desenho Industrial, São Paulo, Editora Blücher, 2001

MUNARI, Bruno. Das coisas, nascem coisas, Editora Martins Fontes, 1998.

PHILLIPS, Peter. Briefing: A Gestão do Projeto de Design. São Paulo, Editora Blücher, 2008.

IDEO. Ideo Method Cards. San Francisco, Ideo, 2005.

ROZENFELD, Henrique; et al. Gestão e desenvolvimento de produtos: Uma referência para melhoria do processo. 1a ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2006. 542p.

REBELLO, L. H. B./ABRAMOVITZ, J. Apostila de Metodologia do Projeto, 2001. (link aqui)

BOMFIM, Gustavo. Metodologia para o desenvolvimento de projetos. João Pessoa, UFPB, 1995.

BONSIEPE, GUI. Teoría y Práctica del Diseño Industrial, Barcelona, Editorial Gustavo Gilli, 1978.

JONES, J. Christopher. Métodos de Diseño, Barcelona, Editorial Gustavo Gilli, 1976.

ULRICH, Karl T.; EPPINGER, Steven D.; Product Design and Development. 4th ed. McGraw-Hill, 2008. 384p.

0 comentários:

Postar um comentário